A Panela 2.1

O texto A panela 2.0 rendeu tantos comentários que decidiu fazer uma versão 2.1.

Muita gente me criticou e não concordou com minha opinião. Outros disseram que é uma tristeza, mas é verdade. Acontece que percebi que esse assunto ainda tem muito o que falar.

Isso que é bacana dos blogs, um monte de gente discutindo um monte de coisa com um monte de opinião.

O Marinho Brandão comentou o seguinte:

2 de Fevereiro de 2007 @ 11:58 am

  • Bom, com todo respeito à sua opinião, acho q vc se esqueceu de alguns elementos, digamos, mais populares da Web2.0:

    – novo site do Yahoo
    – Yahoo Answers
    – Flickr
    – Myspace
    – Orkut
    – Google inteiro (ele é conhecido até pela velhinha da minha rua)
    – YouTube
    – Orkut
    – Live (alguém discorda que o MSN ainda é o mais popular?)

    isso sem dizer da influencia do pensamento comunitário (isso é o motor da web2.0) que rege a nova publicidade, o free software, o novo pensamento corporativo? e até a política (ou alguém discorda que o socialismo tem uma roupagem moderna bem influente nos ultimos anos?)

    eu acho que isso vai bem além dos blogs, não?

    e isso porque o Ubuntu ainda não mostrou o estrago que ele vai fazer nos proximos anos (isso já é suposição minha).

    Ele tem razão. A gente usa sem saber que está usando. Aliás tecnologia é pra isso mesmo, realizar coisas extremamente complexas para você e deixar parecendo que é tudo muito fácil e simples. Tomara que ninguém ache que é fácil manter qualquer um desses sites listados acima, mas usufruir deles é sim.

    Se for ver assim, realmente a Web 2.0 já ganhou um espaço considerável. Agora falta, pelo menos no Brasil, a Internet entrar na casa de todos. Pois por aqui, ainda é uma minoria que tem uma Banda Larga para poder tirar aproveito de tudo que a Web tem para oferecer.

    A Folha disse nessa reportagem que a Banda larga cresceu 660% nos últimos 3 anos. Isso é ótimo! Quanto mais gente melhor. Quanto mais gente conhecendo e usando serviços como o Rec6, a internet brasileira só tem a ganhar.

    Calma, não sou do contra (se bem que as vezes causar uma polêmica é impagável), mas quando escrevi o artigo, pensei nas milhões de pessoas que não fazem nem idéia do pra que serve um computador. E não estou falando das pobres criancinhas que não tem o que comer, estou falando de quem tem condições financeiras para fazer parte disso e que poderia estar aqui comentando agora mesmo.

    Quando esses perceberam a real importância da internet, aí poderemos ter uma total mudança na forma em que vivemos hoje e o cotidiano e a rotina poderão mudar no geral.

  • 4 comentários

    1. Pedro

      Bacana esse post tbm!

      Em “… por aqui “(Brasil)”, ainda é uma minoria que tem uma Banda Larga para poder tirar aproveito de tudo que a Web tem para oferecer.”, acredito que o problema nem sempre sejá a falta da internet e sim o que as pessoas acessam na internet.

      Conheço muita gente que tem internet a tempos mas só fica no Orkut, MSN, fotolog e baixando música… As pessoas não procuram coisa nova e ai está o problema.
      Mas acho tbm q qdo percebem tudo isso q está rolando (Web 2.0) vão entrar nessa era (foi assim comigo há um ano :P)!!

    2. Pedro

      Tonobohn, valeu por passar no meu blog tbm!
      então eu faço UFSC – Santa Catarina…
      hehe, o nome do meu blog é meio q uma sátira ao meu apelido que é ‘2d’…

      valeu!!

    3. Marinho Brandão

      Salve!

      com este post eu concordo em cÔro. A Web2.0 só vai ser tudo aquilo que a Newsweek diz ser, quando for comum a ponto de não ter mais este rótulo.

      o poder que a internet “social” demonstrou no caso da Cicarelli x YouTube e no sucesso relâmpago do Everton Assunção, por exemplo, se tornar mais comum, será quase um paraíso para Bakunin 😉

      🙂

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.