Aprenda as diferenças entre Lato Sensu e Stricto Sensu

Ingressar na universidade é um sonho para milhares de jovens em todo o Brasil. A prova disso é que o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (Prouni) recebem atenção especial de estudantes que querem uma vaga no ensino superior. Mas, depois que essa etapa da vida é vencida, muitas dúvidas começam a pairar sobre essas pessoas, como por exemplo, se devem ou não fazer uma pós-graduação lato sensu ou stricto sensu.

 

Na realidade, o primeiro ponto a ser pensado é o rumo profissional que a vida da pessoa está tomando, ou o que realmente ela quer fazer profissionalmente, pois esses modelos de pós-graduação são bem diferentes e agregam para áreas distintas. Para que você possa entender melhor, vamos explicar o é pós-graduação lato sensu e stricto sensu.

O que é pós-graduações lato sensu?

As pós-graduações lato sensu com aulas ministradas atualmente no Brasil são programas de especialização e englobam os cursos designados, como por exemplo, MBA (Master Business). Esse tipo de capacitação e formação tem duração mínima de 360 horas, sendo que no final do curso o estudante terá direito a certificado e não diploma (como acontece na graduação). Podem ingressar nas pós-graduações lato sensu pessoas com qualquer tipo de graduação que atende as determinações do Ministério da Educação (MEC). Quem quer cargo de gestão em empresas, especialização em determinadas áreas corporativas, certamente deverá investir nesse tipo de curso.

O que é pós-graduações stricto sensu?

Podem participar das pós-graduações stricto sensu, a exemplo da lato sensu, pessoas com formação no ensino superior em instituições reconhecidas pelo MEC. Esse tipo de pós-graduação consiste em um programa de mestrado e doutorado. Esse tipo de cursos é mais indicado para quem quer seguir área acadêmica ou de pesquisa cientifica. Ao final do curso o aluno obterá diploma e não certificado. O processo de seleção no caso desse tipo de pós-graduação é defesa de uma tese, com exame de banca.

Aprenda as diferenças entre Lato Sensu e Stricto Sensu
Avalie esse artigo: