Aquecimento global e uma pitada de revolta

Depois de muito tempo só assistindo seriados na TV a cabo, decide tirar um pouco mais de proveito da fortuna que pago por mês. Coloquei na CNN Espanhol e para minha sorte estava passando uma reportagem sobre um assunto que tenho muito interesse e já falei muitas vezes aqui no blog: aquecimento global.

Primeiro vou falar um pouco da reportagem, do que consigo lembrar:

Os EUA são responsáveis por 25% da emissão de CO2 do mundo todo. Para comparar, toda a América Latina junta, não passa dos 6%. Os outros principais responsáveis são a China e a União Européia.

Segundo estudo, se a temperatura subir mais 2°C, o que pode acontecer em pouco tempo, toda a floresta Amazônica se transformará numa enorme savana, a África sofrerá horrores e começará a faltar água no mundo todo.

Para terminar, o entrevistador e o entrevistado concordaram que o estado é muito mais grave do que parece. Se você se desespera fácil, essa é a hora de entrar em pânico. A situação é péssima e difícil de ser revertida.

O que você pode fazer? Leia aqui.

A segunda coisa que quero falar é sobre COMO a matéria foi feita. Percebi uma diferença imensa entre a CNN e um Jornal Nacional por exemplo.

Primeiramente, durante toda a reportagem, o apresentador deu opiniões sobre o assunto. Disse que o mundo estava em destruição, um verdadeiro caos. Frisou várias vezes que a Amazônia está morrendo, a África ficando cada vez pior e a água acabando.

A diferença é que ele fala COM o espectador, e não somente PARA o espectador. Era como se ele estivesse dizendo e chamando: “Acordem! Precisamos fazer alguma coisa!!”.

No fim da matéria, ainda chamou toda a população, e disse que todos deveriam fazer sua parte, cobrar políticas na sua cidade, tomar medidas, batalhar e ir atrás.

Agora, quando foi que você viu o William Bonner fazer um apelo assim? Convocar o povo para se mobilizar?

Outra diferença básica: talvez por lá, o cidadão se sinta sim parte de tudo o que acontece no governo. Se sinta como alguém que pode participar e opinar, e quem sabe talvez mudar o que está errado na política.

Mas por aqui, como alguém muda alguma coisa? Como alguém muda, num país sem lei e sem dono? Como você mobiliza a população, que em sua grandissíssíma maioria não tem base política nenhuma?

Acontece que o povo só sente quando mexe no bolso. São Paulo está em chamas? Nuvem cinza cobrindo a cidade? Poluição visual, sonora? Quem liga? Mas aumente os impostos para ver a ira ….

E olha que as vezes nem assim.

Deixando a política e voltando ao jornalismo …

Poluição visual. Quem liga?

A verdade é que o que a Globo faz, é apenas informativo. Não é um jornalismo participativo. A única coisa que a Globo faz, é buscar a informação e colar na testa, sem estimular a reflexão. Assim fica mais fácil acostumar e massificar a população.

Aliás, o Bush promete, promete, e não faz nada. Ninguém consegue mais levá-lo a sério:

Will Ferrel on George Bush on Global Warming

Artigo totalmente revoltado.

[bl]Aquecimento global, Inconvenient truth, globo, CNN, jornalismo[/bl]

[tags]aquecimento global, william borner, globo, jornalismo participativo[/tags]

Aquecimento global e uma pitada de revolta
Avalie esse artigo:

19 Comments - Add Comment

Reply