Coisas Que Você Não Leu Sobre o BlogCamp

O evento acabou, mas o momento está só começando.

Teve gente que achou que foram discutidos assuntos já manjados. Eu concordo que poderíamos ter discutido coisas um pouco mais novas, mas acho que algumas pessoas foram até lá buscando conclusões e respostas. Na minha opinião, o BlogCamp foi um evento para formular novas perguntas, e isso é ótimo.

Afinal, já dizia Sócrates – tudo que sei é que nada sei. Ou seja, o homem sábio não é aquele que tem todas as respostas, mas o que sabe formular as perguntas certas.

E além disso, várias outras coisas bacanas, além das discussões aconteceram:

  1. Eis que na hora do almoço do Domingo a Ceila Santos pergunta ao Marcelo Antunes: “Ai, queria tanto conhecer o Gabriel Tonobohn, conversei bastante com ele pelo msn antes do evento!”. O único detalhe é que já havíamos conversado durante horas, tanto Sábado quanto Domingo. E pra piorar, eu também não sabia que ela era ela. Que raio de networking é esse, Gabriel?
  2. Marmota diz: “Isso tudo é bolha, quando acabar, restarão apenas as baratas … e o Interney Blogs.” – as baratas que se cuidem!
  3. “Só a coisa própria é igual a si mesmo” – Gilberto Jr, em momento inspirado.
  4. No Domingo, durante o chopp, teve um chat offline. Um papelzinho passou de mão e o pessoal foi conversando.. teve também tag cloud em outro papel, e ainda um terceiro com um Meme.
    Veja aqui o verdadeiro papel do Twitter no BlogCamp (obrigado Marcelo pela foto!)
    papel do twitter
  5. Alguns anos atrás, uma amiga disse: “Ei! Entra nesse blog, é muito maneiro!”. Quem diria que alguns anos depois eu estaria conversando com a blogueira em questão, tietando e descobrindo que não só o blog dela é legal, como ela também corresponde totalmente às expectativas.
  6. A Lúcia Freitas tem tendências suicidas. E o pior, ela ainda de alguma maneira conseguia fazer com que eu e Manoel entrássemos na brincadeira de atravessar a rua com os carros em movimento.
  7. A conversa mais bacana do almoço de Domingo foi sobre a moqueca de peixe da Lu. Com coentro ou não, você que escolhe. A Lu não gosta! O Jobson também se mostrou um exímio cozinheiro.
  8. O Morróida levou a sério o negócio de Bar e compareceu só na hora da cerveja.
  9. Esse a maioria já ouviu, mas não podia faltar. Um dos primeiros blogueiros do Brasil é também o primeiro Soulja Boy tupiniquim. Ainda bem que ele vive de blogs…


Por fim, gostaria de agradecer ao Manoel e a Lúcia, que se tornaram grande amigos e ajudaram na organização do evento. Foi ótimo fazer e rever amigos. Reconhecê-los, afinal, como disse Vinicius de Moraes: “A gente não faz amigos. Reconhece-os.” Obrigado à todos também que contribuíram na campanha para repor o projetor furtado.Este é apenas o fim do começo. Muita coisa ainda está por vir, novos BarCamps, outras iniciativas e novas amizades.

A blogosfera é a primeira banda que faz música de qualidade sem precisar de um maestro.

Abraço!

4 Comments

Add Comment