Como Conviver Com as Diferenças Religiosas?

Com tantas religiões no mundo é impossível não ter em seu ciclo social alguém que faça parte de alguma crença. Conviver com tantas diferenças é fácil, pois milhares de pessoas fazem isso todos os dias. Além disso, somos todos iguais e a religião não faz de nós pessoas distintas. Contudo, requer algo chamado tolerância e vontade de exercitar a política de boa convivência e adima de tudo: colocar em prática o amor ao próximo que Jesus tanto ensinou  ensina até hoje, já que ele vive para sempre!

Ninguém é superior a outra pessoa por ser religioso, ou vice-versa. Na verdade todas as religiões levam a um caminho que procura explicar a origem de tudo, assim como a ciência. E quando há uma certa incompreensão acerca disso, a verdade é que o amor – que deve ser o maior fundamento de todas as coisas -se perde, ficando assim qualquer religião sem sentido.

O primeiro passo para conviver bem com as diferenças religiosas é se informar a respeito de suposta religião.  Julgar algo sem possuir algum conhecimento, nem que seja mínimo, é irracional. Por isso, o melhor caminho para uma boa convivência é saber quais crenças aquela pessoa possui e o porquê delas.

Do Cristianismo, o Hinduísmo, o Judaísmo, o Islamismo e das religiões africanas, várias crenças se originaram. Muitas igrejas são adeptas do cristianismo, mas possuem filosofias um tanto distintas, por exemplo. O segundo passo para um bom convívio com as diferenças religiosas é ter sempre respeito, independente do que se crê. Se todas as pessoas cultivassem o respeito, não só em relação às diferenças religiosas, o mundo seria mais tolerante. Não é preciso aceitar aquela crença, mas é essencial respeitá-la.