Hoje Eu Quero é Solidão – Ou Não…

Outro dia publiquei um texto no NossaVia demonstrando como o ser humano é um bicho socialmente dependente.

A onda da Web 2.0 explora justamente essa característica: sociabilidade. Todos os serviços novos para web tentam de alguma forma aplicar conceitos sociais. Redes sociais, mídias sociais, tudo precisa ser social. Não é a toa, já que os sites mais acessados hoje são Orkut, Twitter, Facebook e afins.

Contudo, vejo essa comunidade online crescer de forma acelerada, mas cada vez mais forçada. Forçada sim, como se fosse necessário todos os dias, todas as horas estar chamando a atenção da comunidade. Se um blogueiro como eu passa alguns dias offline, a impressão é que você se afastou muito do grupo. Bate até um peso na consciência. Ficar no MSN ou no Gtalk sem conversar com ninguém é uma “heresia 2.0”.

donotdisturb

Me deixa aqui, pô!

Uma comunidade, uma tribo, um grupo social deve nascer e crescer a partir de ideias e interesses comuns, ou no mínimo de uma história em comum. Ela não deve existir simplesmente porque é legal ser social. Podem me chamar de chato, velho, mas um blogueiro não vai passar a ser meu amigo só porque ele é blogueiro. Também não quero que o Orkut inteiro me adicione e que todos comecem a me pingar no MSN. O homem é um bicho social sim, mas esqueci de dizer uma coisa: ele também precisa de momentos de solidão.

Voltando o foco para a web, o ponto é que não aguento mais ver novos serviços em torno do social. Aliás, ultimamente, até serviços que não tem essa finalidade usam o “social” no nome para tentarem ser aceitos e bem recebidos.

O problema é que, quando você está na rede, você está ligado, conectado a outras milhões de pessoas. Impossível não ser visto. O jeito é desligar a CPU, pegar um pote de sorvete e ir para frente da TV.

4 Comments

  1. myla
  2. Aninha

Add Comment