Portal 25 e a interoperabilidade

Em uma das empresas que trabalhei, um dos maiores problemas enfrentados era em relação ao sistemas usados em cada área. Cada setor possuía um serviço diferente para auxiliar no trabalho. Alguns chegavam a ter até 10 sistemas no mesmo time, para resolver problemas diferentes. E o pior de tudo, os softwares não conversavam entre si.

Sem a comunicação desses softwares, a troca de informações entre as áreas se tornava também muito complicada. Ok, complicada é eufemismo, na verdade era um completo caos e isso porque estou falando de uma grande multinacional.

Com o passar dos anos esse cenário tornou-se comum não só no mundo corporativo, mas no dia a dia das pessoas, com dezenas de softwares instalados em um mesmo PC. O desafio passou a ser então fazer esses softwares conversarem e interagirem entre si e a solução mais eficaz para isso é uma coisinha mágica que chamamos de interoperabilidade (tente falar isso rápido).

Interoperabilidade, segundo a Wikipedia:

Interoperabilidade é a capacidade de um sistema ( informatizado ou não) de se comunicar de forma transparente (ou o mais próximo disso) com outro sistema (semelhante ou não). Para um sistema ser considerado interoperável, é muito importante que ele trabalhe com padrões abertos. Seja um sistema de portal, seja um sistema educacional ou ainda um sistema de comércio eletrônico, ou e-commerce, hoje em dia se caminha cada vez mais para a criação de padrões para sistemas.”

Criar essa interação entre Windows, Office, SQL Server, Exchange, Visual Studio e outros foi o objetivo da Microsoft desde 2001, quando começou a estudar as melhores possibilidades para concluir esse projeto. Como resultado, a partir de 2007 foram estreitados os laços com comunidades de Software livre e iniciou-se o compartilhamento de códigos e licenças.

Hoje, a Microsoft lança também o Portal 25, com a intenção de construir seu laboratório de software livre e aumentar essa interação com a comunidade aqui no Brasil. Um projeto que começou nos Estados Unidos e já estava presente também na França e Alemanha. O portal é alimentado por Roberto Prado, gerente de estratégias da Microsoft e tem até podcast!

A iniciativa é muito válida e a Microsoft vai ganhando um grande espaço dentro do mundo OpenSource, vale a pena conferir.

*Este artigo é um publieditorial

Portal 25 e a interoperabilidade
Avalie esse artigo:

Add Comment