Seu Tomasio e a otimizacao de tempo

Já ouviram dizer que otimização de tempo é uma utopia? Não sei se alguém já disse isso antes, mas é minha opinião.

Otimização de tempo não existe. Ponto.

O que existe é otimização de resultados. Explico-me.

Seu Tomásio, senhor de meia idade, cabelos grisalhos, com uma boina na cabeça e um sorriso no rosto. No ano de 1960, trabalhava a 3Km de casa e andava todo santo dia 45min para chegar ao escritório. 45 de ida, 45 de volta, somando 1hr e 15min por dia perdidos nessa viagem. Nenhum [bp]IPod[/bp] para tomar o tempo.

Contudo, com a popularização dos carros, no ano de 1966, 16 anos após a primeira fábrica da Volkswagen se instalar no Brasil, Seu Tomásio conseguiu juntar um dinheiro e comprar seu primeiro carro: um lindíssimo [bp]DKW[/bp].

dkw5

Agora ele poderia chegar no escritório em poucos minutos. Salvaria mais de 1 hora do seu dia com seu novo possante.

Mas o que ele se perguntava era: o que fazer com esse tempo de sobra? Dormir? Jamais!

O homem moderno não tem tempo para isso. Tempo é dinheiro.

Ele decidiu então que chegaria 1 hora mais cedo no trabalho e poderia fazer muito mais coisas. Isso traria mais resultados e consequentemente mais lucro para a empresa. Ótimo!

Mas a década de 70 estava aí. O telefone estava ficando cada vez mais popular. O telefone poderia dar um saving altíssimo para a empresa. E lá se foi mais uma compra.telefone

Agora Seu Tomásio economizaria horas e horas por dia no [bp]telefone[/bp]. É a maravilha da tecnologia! E ele poderia utilizar essas horas para ….. trabalhar mais. Produzir mais.

Depois dele, vieram os filhos do Seu Tomásio, que saltaram de uma máquina de escrever para um computador. De um jornal impresso para os feeds.

Hoje, podemos fazer o que fazíamos em meses, em apenas algumas horas.

E o que mudou? Os resultados.

O dia continua tendo 24 horas e você continua trabalhando 40 horas por semana.

Portanto, ao meu ver, o conceito de otimização do tempo é furado. O que você faz é gerenciar resultados.

Que venha a web móvel, que venham as revoluções tecnológicas. Ao fim disso tudo, você ainda vai trabalhar. Quarenta horas por semana.

Alguém me explica o sentido disso?

[update] Vou tentar explicar melhor, pois acho que talvez nem todos tenham entendido.

Quando alguém inventa um novo apetrecho qualquer, não pode pensar que com aquilo vai diminuir o tempo gasto para realizar uma tarefa. O que vai acontecer é que você vai poder fazer muito mais daquilo, no mesmo período de tempo de antes. O tempo não mudou, mas você agora faz muito mais do que antes com aquele tempo.

No fim, você se pergunta: e daí? Você inventa para produzir mais, e mais … e mais. E o que muda realmente na sua vida, depois que você produziu mais? Talvez o dinheiro, e só. Você não vai ter mais tempo pra sua família, nem pra sua diversão. Só mais tempo para produzir.

A tecnologia não deveria ajudar na qualidade de vida? Não é esse o foco que vejo, infelizmente.

[bl]gerenciamento, o monge e o executivo, livros, otimização[/bl] [tags]gerenciamento do tempo, gerenciamento de recursos[/tags]

9 comentários

  1. Fabi

    tava falando sobre isso com alguem esses dias..e como vc gerenciou seu tempo no trem/metro/bus hoje? haha =*

  2. tonobohn Autor do post

    Otimizei meus resultados, Fabi. Dei meia volta, aproveitei pra ver Transformers no cinema e esperar a fila baixar hehehe

  3. Lu

    Os mega-empresários que faturam com essas 40 horas explicam. 😛

    O Domenico de Masi tem um livro ótimo sobre isso, “O Ócio Criativo”, em que defende que, quanto menos horas trabalharmos, mais produtivos seremos. Tive uma pepoca em que trabalhava 20 horas semanais, e fazia muito mais do que agora, em 40. Na Europa, vários empregos têm uma carga horária menor, comprovando a veracidade da teoria.

  4. tonobohn Autor do post

    Lu,

    Eles não explicam nada. Podem ganhar uma fortuna, mas continuarão trabalham 40 horas, por mais que otimizem o tempo.

    Sobre trabalhar menos e ser mais produtivo, acredito mesmo nisso. Muitos publicitários trabalham só num período em que sabem que a mente está mais “fértil”, durante poucas horas por dia. E rende muito mais do que ficar no stress das 8 horas diárias.

    Mas é cultural e nem números vão conseguir mudar isso.

    A única coisa que quis dizer no artigo, é que não existe otimização de tempo. O tempo é sempre o mesmo. É um conceito diferente.

    Mas já que você falou desse livro, vou atrás dele.

    Abraço

  5. Norberto Kawakami

    No sentido em que você colocou no update, deveria ser mais como os índios encaram o trabalho: como uma finalidade em realizar algo. Se a tecnologia surgiu para facilitar a realização deste algo em menos tempo, deveria sobrar mais tempo para fazer outras coisas e não fazer mais desse algo.

    É um mito que a tecnologia está aí para ajudar o homem a viver melhor. Ela está aí para que a máquina de fazer dinheiro faça mais em menos tempo. E se isto melhora a sua vida, é encarado como um bônus, mas não como o seu objetivo primordial.

    O tempo não é sempre o mesmo, pois isto dependerá principalmente em qual cultura você vive. E se você me perguntar o que ela é, não conseguirei te responder porque ninguém conseguiu responder a essa pergunta até hoje satisfatoriamente.

  6. Aluisio Saboya

    Concordo contigo de todos os ângulos possíveis! plenamente!
    Mas somente não concordo com uma coisa..

    “…1hr e 15min por dia perdidos nessa viagem…”

    Eu acho que essa tempo que tu disse que ele perdeu
    é o tempo mais produtivo dele, tempo pessoal e intransferível, onde ele vai está criando todo tipo de pensamento e pensar é muito bom. Ler um texto como esse faz pensar, logo teu objetivo foi atingido, nem precisava de update! 😀
    abraço

  7. tonobohn Autor do post

    hehehe você tem razão Aluisio! Se deu pra fazer alguém pensar e promover um mini debate já tá ótimo! rss

    Abraço

  8. Aluisio Saboya

    isso é uma virtude de poucos!
    é muito mais satisfatorio ler um artigo como esse!
    do que a capa da playboy do mês…
    parabéns tono.. sou seu fã! rsrsrs
    até logo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.