Dicas para precificar o aluguel para imóvel de temporada

Imóveis de temporada são aqueles alugados por um curto período de tempo, como uma casa ou apartamentos para alugar na praia. O inquilino não tem a intenção de permanecer ali por muito tempo e optou pelo espaço para curtir sua viagem.

Por ter essa questão de menor tempo de permanência, a cobrança do aluguel não pode ser mensal, mas sim diária. Quase como se a pessoa estivesse hospedada em um hotel. No entanto, não dá para pensar nos preços dos hotéis e pousadas como base.

O visitante pode alugar o espaço por um dia, quinze, um mês ou mais. Ainda assim, é importante saber como fazer a cobrança e conquistar interessados em ficar no seu imóvel. Confira as dicas.

Dicas para precificar o aluguel para imóvel de temporada

Objetivo do aluguel

Qual é seu objetivo ao alugar um imóvel de temporada? Você quer oferecer um espaço para pessoas que viajam a lazer? Receber apenas quem está em viagem de negócios? Ambos? Foca em pessoas mais jovens ou mais velhas? Deixe isso bem claro, pois a questão vai influenciar na quantidade de dias que interessam para alugar e no preço. 

Viagens de negócios, por exemplo, podem ser mais curtas e costumam receber apenas uma única pessoa. Se você está pensando no aluguel de kitnets, seu espaço é mais interessante para essas pessoas. Por outro lado, grupos de amigos ou uma família em viagem de lazer pode preferir um apartamento com mais quartos e até uma casa.

Ocupação x preço

Preço muito alto não significa que você vai ter pessoas sempre interessadas em estar no seu imóvel, mesmo que ofereça bastantes benefícios. É preciso pesar a questão ocupação x preço. 

Às vezes, apostar em um valor mais baixo pode ser uma garantia de ter sempre alguém alugando o espaço. Com isso, você consegue cobrir todos os custos envolvidos e o apartamento ou casa nunca fica vazio. Ao apostar em um valor mais caro, pode ser difícil encontrar interessados e você precisa sempre aumentar o preço para cobrir todos os custos.

Descubra Vantagens em Imobiliária na Locação

Localização do imóvel

A localização também vai ser levada em conta ao estudar a precificação de um imóvel de temporada. Está em um bairro bom, com facilidades nas proximidades? Tem mercado, ponto de ônibus e fácil acesso até outras regiões da cidade? No caso do litoral, é de frente para a praia, por exemplo? Já tem vários motivos para você cobrar um pouco mais na diária.

Se o local não for tão interessante, próximo de pontos importantes, como estações de metrô, centros de convenções, universidades e da praia, vale a pena cobrar um pouco menos para atrair os inquilinos.

Infraestrutura oferecida

Como se trata de uma casa de temporada, é provável que você não vai entregar o imóvel vazio, mas sim contar com alguns móveis e certa infraestrutura. No valor cobrado na diária, você também vai considerar isso.

Há poucos móveis? Apenas uma mesa, um sofá, um fogão, uma cama e um frigobar? O preço precisa ser diferente de uma casa que ofereça micro-ondas, freezer, ar-condicionado, aquecedor, guarda-roupa, dentre outros móveis e eletrodomésticos. Quanto mais coisas, mais benefícios a pessoa tem ao se hospedar ali.

Preços de imóveis semelhantes

Estude sua concorrência e faça isso sem medo. Quem são os outros imóveis de temporada semelhantes que estão nas proximidades? Como é o bairro em que estão localizados, o que oferecem para o hóspede?

Os que estiverem mais próximos da sua casa ou apartamento servirão como um norte para o preço médio a ser cobrado. Por exemplo, você tem um apartamento no segundo andar do prédio com portaria, com dois quartos, um deles suíte e de frente para a praia. Um prédio próximo tem um apartamento nas mesmas condições, mas sem portaria 24h e um pouco mais distante da praia. Ele cobra R$ 100 na diária, você poderia cobrar R$ 120 por incluir mais benefícios para os inquilinos.

Conheça os períodos de temporada

Conhecer a época de temporada vai ajudar as pessoas que querem alugar seus imóveis apenas para pessoas em viagens de lazer – ou pretendem dar prioridade a este tipo de inquilino. Uma praia terá maior movimentação no verão, enquanto uma cidade conhecida pelo frio, como Gramado, pode ter maior procura no inverno.

Assim, na época de temporada, é possível cobrar um preço um pouco mais alto, até porque a disponibilidade de imóveis será menor e a procura por eles será maior. Além disso, para evitar a casa ou apartamento vazio fora da temporada, experimente fazer promoções ou baixar o valor nesta época.

Qualidade dos móveis e eletrodomésticos

Os móveis e eletrodomésticos da sua casa de temporada são novos ou mais antigos? Passaram por algum conserto ou reforma? Essa informação também pesa na hora de estudar o valor a ser cobrado do inquilino. 

Imóveis com móveis e eletrodomésticos de última geração podem cobrar um valor mais alto, enquanto as que possuem coisas mais antigas devem pensar em promoções e descontos.

Área útil disponível

A área útil a disposição dos hospedes também pesa na hora de cobrar a diária. Uma kitnet ou um quarto a parte da casa, quando alugados, precisam ter um valor menor, já que há menos espaço para a pessoa. Por outro lado, casas completas e uma cobertura podem cobrar mais, sem nenhum problema.

No caso das casas de condomínio e dos apartamentos, também é preciso considerar as áreas de uso comum. O inquilino poderá usar o parquinho infantil para os filhos? Pode usar o salão de festas? A academia? Se a resposta for sim, este benefício entra na precificação.

Custos mensais

Como se trata de um imóvel alugado por períodos menores, você terá um custo a mais em sua lista: limpeza. Seja de sua responsabilidade ou com a contratação de uma diarista, será necessário pensar como isso pesa no seu bolso.

A cada vez que uma pessoa deixa sua casa ou apartamento, é preciso limpar todos os cômodos, para que o imóvel esteja pronto para receber o próximo interessado. Lembre-se de dividir o valor da diarista no preço cobrado nas diárias. Essa dica, inclusive, também é válida para quem aluga quartos.